Tellus Itapuã
ImprimirE-mail

Tellus Itapuã

Certo dia visitando a fazenda, eu e minha amiga resolvemos dar uma volta para conhecer melhor. Minha amiga pegou um cavalo mais velho, grande com um currículo de provas de dar inveja, já eu peguei um pequenino, todo peludo. Começando o passeio percebi que o pequeno era bem quentinho e não gostava muito de ficar ao passo, mas era bem confortável e encaixadinho.

 

Após o passeio resolvi saber um pouco mais dele. Descobri que aquele pequenino já havia pulado provas de 1,50m.
Resolvi que era ele que eu queria.
Ai ai ai eu nem imaginava onde eu estava me metendo...
- Tellus Itapuã
- Brasileiro de Hipismo (BH)
- nascido em 09/11/1993
- filho de (RA) Efesivo com Nabica Itapuã
- Castanho.

Recebi ele no haras onde eu treinava e eu estava totalmente encantada com ele!!!

No primeiro dia resolvi ver do que ele era capaz. Na pista ele saltava qualquer altura como se fosse absolutamente nada, era algo fantástico, eu não conseguia entender porque aquele animal estava “jogado” na fazenda. Nunca tinha visto algo parecido, ele saia de baixo, de longe...

Foram passando os dias e eu fui percebendo que ele ficava muito nervoso quando eu montava. Demorei um tempo para entender, mas até que um dia resolvi colocar um hackamore nele. Ele voltou a ficar um anjo. Trabalhava perfeitamente, não corria, era calma fazia todo tipo de mudança e tudo mais.

Eu continuava sem entende o porque ele não estava em provas, então comecei a treinar salto.

Fiz algumas pistas excelentes até 1,40m e ele sempre FANTASTICO. Até que um dia fui saltar um X de menos de 1m quando ele me derrubou. Não entendi nada. Como era possível um animal daquele se recusar a saltar aquilo! Então fui tentar saber mais dele.

Diz a lenda... Que quando potro ele foi entregue para ser treinado, como ele se saia muito bem ele foi subindo muito rápido. Em uma prova de 1,50m ele caiu em cima de uma paralela e a pessoa não quis mais montá-lo.

Depois ele foi para uma garotinha fazer campeonato de 1,30 m. Eles iam muito bem, até que no meio de um triplo ele a arremessou longe, e seu pai não deixou mais ela montá-lo.

Passou na mão de vários profissionais e derrubou todo mundo de forma bem agressiva.

Custava-me a acreditar que aquele animal com aquela potencia estaria “traumatizado”.

Continuei o treinamento e toda vez que meu pai comentava que eu estava com ele, às pessoas diziam “proíba ela de montá-lo ele é louco”. Mas eu gostava dele.

Conseguimos fazer uma provinha perfeita no Haras Buona Fortuna, onde algumas pessoas até achavam que ele estaria entrando nos eixos.

Mas nos treinos... Hora era perfeito, hora ele se recusava a passar uma varinha no chão. Até que um dia, em que ele estava indo muito bem, ele me arremessou em um oxer, e eu cai de costas no gancho do para flanco e rasguei as costas. Depois deste dia meu pai me sugeri a parar de montá-lo!!!

Deixei ele no piquete por dois meses só aproveitando a vida, afinal ele não era um animal maldoso, apenas traumatizado e com uma idade avançada, 12 anos. Tínhamos uma ligação bem forte, onde eu ai ele me seguia, ficávamos horas no piquete juntos brincando até que ele voltou para a fazendo.


Sinto muito falta dele!!!

 

Entre em contato

Clique aqui

 
 

 

 
Banner
Banner
Banner

Visitantes

556432
TodayToday18
YesterdayYesterday265
This weekThis week1023
This monthThis month4516