HIPISMO e o ESTRESSE

HIPISMO e o ESTRESSE

ImprimirE-mail

HIPISMO e o ESTRESSE

Historicamente o cavalo sempre esteve aliado ao homem como meio para suas conquistas e evolução da civilização. Simbolicamente, portanto, transmite a sensação de força, poder e liberdade. A prática eqüestre favorece, dentre os aspectos físicos, o aprimoramento de funções físico/motoras como equilíbrio, aumento da força e relaxamento muscular, aumento da capacidade respiratória. Dentre os aspectos psicológicos, favorece a melhora, por exemplo, do autoconhecimento, da auto-estima, autoconfiança, autovalorização, de habilidades sociais e de relaxamento e controle emocional.

 

Os benefícios advindos da utilização do cavalo como instrumento psicoterapêutico já são amplamente comprovados, como por exemplo, na equoterapia, que se utiliza de atividades eqüestres e técnicas de equitação para a reeducação e reabilitação motora e mental. Estas atividades constituem-se também em um excelente recurso para o controle do estresse, condição presente e característica da sociedade moderna.

Atualmente, muito se utiliza a palavra estresse, no entanto, pouco acesso se tem a informações necessárias para que, uma vez controlado, este possa ser benéfico ao ser humano.

Todos nós temos estresse ou, pelo menos, é importante mantê-lo em um nível  saudável, já que o mesmo significa um desgaste geral do organismo quando algum estímulo – a fonte estressora - provoca uma reação ou necessidade de adaptação. Isto significa dizer que, certo nível de estresse é necessário para que possamos estar prontos para responder às demandas da vida e que mesmo acontecimentos positivos podem gerar estresse. Quando excessivo, no entanto, pode gerar sintomas como, tensão muscular, enxaqueca, sensação de cansaço sem causa aparente, hipertensão, insônia, dentre outros, e/ou favorecer o desencadeamento de problemas psicológicos como depressão, transtorno do pânico, dificuldades de atenção, memória, irritabilidade excessiva.

Desta forma, é fundamental que busquemos o conhecimento sobre como controlar o desgaste excessivo, aonde, além de uma alimentação equilibrada, formas de relaxamento e procurar alterar um padrão de interpretação dos acontecimentos para suavizar o impacto destes, ressalta-se aqui também a prática de atividades físicas, pois favorece a produção de substâncias neuroquímicas responsáveis pela sensação de bem estar, Tem-se como opção especial à prática do hipismo, que se utiliza da integração do homem com o cavalo para a superação de obstáculos. Este, além de excelente exercício aeróbico, proporciona a melhora dos sintomas físicos e psicológicos conseqüentes de um desequilíbrio do organismo, dos aspectos na área afetivo/emocional e contribui para o equilíbrio nas interações sociais.

Adequado às diferentes faixas etárias, adaptando-se a crianças e adultos, o hipismo é, portanto, uma excelente estratégia para o controle do estresse e para a manutenção da qualidade de vida que tanto almejamos.

Andréia Bolfer Nacarato
Mestre em Psicologia Comportamental e praticante de hipismo.

Entre em contato

Clique aqui

 
 

 

 
Banner
Banner
Banner

Visitantes

556432
TodayToday18
YesterdayYesterday265
This weekThis week1023
This monthThis month4516